terça-feira, agosto 09, 2011


O retorno ao trabalho!

1
Olá meninas(os), Primeiro quero desejar uma ótima semana a todos!!
Hoje, quero falar sobre um assunto que durante alguns meses tomou conta da minha vida, da minha mente, da minha casa e da minha família, o retorno da licença maternidade.
Vivemos momentos lindos e mágicos durante a espera dos nossos pequenos tesouros, passados os 9 meses, começamos a viver momentos intensos de vibração e euforia, a cada careta ou suspiro, uma nova descoberta, e enfim se passam mais 4 meses e chega a hora da mamãe voltar ao trabalho, o que fazer?
Eu sou um exemplo vivo desse martírio, sair pela manhã, seja no calor, frio ou chuva com o bebê no colo em direção a escola, deixar uma criaturinha tão pequena e indefesa aos cuidados de pessoas até então eram estranhas a nós e aos nossos bebês, eu não consegui, tentei, mas não consegui, fiz adaptação, mas foram os dias mais sofridos da minha vida.
Durante a minha gravidez, nós tínhamos uma pessoa da nossa confiança, que morra no mesmo condomínio e cuidaria da Manú durante o dia quando eu voltasse a trabalhar, mas quando a bebê fez dois meses, essa amiga nossa ficou doente, uma doença que exigiria tratamento e ela não poderia mais tomar conta da Manú, eis que começou nosso dilema, nós sempre conversamos muito a respeito de escola, antes de engravidar eu não prestava atenção, foi só a Manuela nascer que todos os dias eu via matérias na TV e na internet falando de crianças e bebês sendo maltratados e morrendo em escolas e com babás por aí a fora.
Contrariada e quase sem dormir de preocupação, fomos pesquisar escolas próximas a nossa casa, depois de duas ou três, escolhemos uma, muito limpa e organizada, as professoras muito simpáticas e atenciosas, tudo acertado, fomos dois dias antes do fim da minha licença pra adaptação, a Manuela estava com quase 5 meses e só mamava o peito, eu queria que ela continuasse a mamar do meu leite então encontrei um site que trabalha com produtos para amamentação e comprei os potinhos para armazenamento de leite materno, depois vou deixar o endereço, mas mesmo mandando meu leite pra escola, ela não quis tomar na mamadeira, ficou das 7:00 as 14:00 sem comer ou mamar nada, quando cheguei pra busca-la ela estava até meio mole de tanta fome, quase chorei de remorso, meu peito doía de tanto leite a ela sem poder mamar, as professoras conversaram comigo e me aconselharam a autorizar a darem comida e frutas pra que ela não ficasse tanto tempo sem comer caso não pegasse a mamadeira, mesmo muito contrariada autorizei, pelo menos ela não ficaria com fome.
Voltei oficialmente ao trabalho e todos os dias era um sacrifício sair de casa com ela antes das 7:00 da manhã, as vezes num frio de tremer os dentes, as vezes na garoa, deixava ela na escola que fica bem próximo de casa e ia pro trabalho, mas passava o dia ligando pra saber como ela estava.
Depois de uma semana eu não aguentava mais, já tinha conversado antes com meu chefe a respeito da minha demissão, mas não era só isso, a decisão de ficar em casa e ser mãe em tempo integral acarreta em abrir mão de muitas coisas como carreira profissional e comprometer drasticamente o orçamento da casa, nós oramos muito e pedimos a direção de Deus pra fazer o que fosse melhor pra nossa família.
Conversamos com amigos, parentes e com o pediatra, mas cada um tem uma opinião, no fim a decisão era nossa mesmo, acertei tudo com a empresa e fui demitida, não consegui deixar minha pequena aos cuidados de outras pessoas, hoje ela esta com 6 meses e meio e tenho certeza que fiz a escolha certa, eu não sou contra a escola, mas a partir do momento que a criança vai pra aprender e não pra mamar e dormir!! Assim que ela tiver idade pra chegar em casa e dizer que foi bem tratada na escola e que aprendeu algo de bom, eu volto a trabalhar.
Fica a dica, é claro que cada um tem sua própria opinião, mas uma coisa é certa, não é uma decisão facíl!

 
Bjus, fiquem com Deus!!!

1 comentários:

monique disse...

Oi Sou monique vi seu blog no BabyCenter.estou na mesma situação,meu filho tem 2 meses e já estou sofrendo em saber que terei que trabalhar e deixar ele,não deixarei na escola,ele ficara com meu pai mais mesmo assim estou pedindo a direção de DEUS para fazer a coisa certa.preciso de trabalhar para ajudar em ksa,mais só de pensar que irei ficar longe do meu filho da um aperto no coração.

Postar um comentário